11 dezembro 2017

Quase Morri Tomando Pilula Anticoncepcional

Se você for uma mulher cisgênero que "manja dos rolê sexual"", talvez já tenha encontrado algum artigo falando sobre a pilula anticoncepcional e a debate cercando ela atualmente. Pessoalmente, senti na pele como é estar dentro do grupo de risco que não a deveria tomar - mas será que você sabe que esse grupo sequer existe? Pois é: a maioria dos médicos ginecologistas sequer o menciona! E quem diz que basta ler uma bula para saber dos efeitos colaterais é simplista: quantas pessoas serão leigas em casa para entender corretamente os resultados fatais que podem ocorrer por terem histórico de trombose, câncer de mama, diabetes, doença de figado, enxaqueca... o papel do médico é informar o paciente também, não apenas escrever uma receita e terminar por ai.




Hoje estou fazendo acompanhamento com uma ginecologista que é exemplo que existe sim profissionais dentro da medicina que são exemplos: quando mencionei meu histórico, ela se monstro horrorizada como meu caso foi tratado com descuido desde o começo da adolescência e ela é particularmente cuidadosa com minha Síndrome dos Ovários Policísticos e jamais menciona métodos hormonais como forma de contenção para regula-los. Existem sim médicos muito capazes e não simplistas: devemos procura-los e valoriza-los.

Da mesma forma, não há necessidade de demonizar a pilula, ao meu ver: e sim entender que para muitas mulheres ela é letal. Se você está no grupo de risco, ela é um medicamento a ser evitado. O por que? Essa é minha historia:

Vídeo:


Comente com o Facebook:

Seja seu o primeiro comentário!

Copyright © 2014 - marianasantarem.com.br - Todos os direitos reservados. LAYOUT E ILUSTRAÇÃO POR KÊNIA LOPES. PROGRAMAÇÃO POR SUGAR DANCE.