27 março 2015

Made In China: Compras Recebidas De Lojas Chinesas - E Um Pouco Sobre Trabalho Escravo

Quando a gente pensa nos preços das lojas chinesas, é difícil não se seduzir, né? Sei que sempre tive uma curiosidade, uma pulguinha atrás da orelha, sobre como seria a qualidade e se valeria a pena. Por isso, quando algumas lojas do ramo de confecções lá do nosso conhecido outro lado do mundo me ofereceram para testar seus serviços, achei que era uma oportunidade bem legal.

Um adendo importante é que peguei essa chance também para descobrir quais sites respeitam seus trabalhadores e quais não. Nos contatos por e-mail, pedi para que me contassem um pouco sobre suas fábricas e como era a origem delas. Duas lojas cortaram o contato por ai, mas as demais - que estão presentes no vídeo - me contaram (e dei um Google geral para ver se a informação procedia) que as roupas vinham de fábricas onde os trabalhadores são assalariados e em boas condições. É possível checar nos bancos de dados das organizações a favor dos direitos humanos quais empresas chinesas tem ou não ligação com trabalho escravo, então foi ai que me joguei feliz!

Caso sintam curiosidade de saber mais sobre isso, vale lembrar que há bancos de dados aqui no Brasil também sobre as empresas que tem passe vermelho ou não. Um dos primeiros sites que indicaria de bom grado é da Repórter Brasil, que faz maravilhosas matérias investigativas. Com um pouquinho de paciência e boa intenção, dá para confirmar as informações em inglês que correm soltas pela web também. Não consegui checar nesse double check se as informações passadas eram corretas em relação aos fornecedores de sapatos dos sites e por isso, mesmo com a palavra das lojas, preferi não investir nesse lado.

Um site muito interessante que descobri nessa jornada foi o Slavery Foot Print, que te diz quantos "escravos trabalham para você" através das marcas que você consome. Vale a pena checar - mesmo. Fiz o teste pensando em tudo que tenho aqui em casa, com minha alimentação, guarda-roupa, o que você imaginar. O resultado foi chocante: 51 escravos, quase todos ligados as marcas de eletrônicos que tenho. Assustador; e ainda não sei o que pensar com essa informação tão pesada.

Sem mais delongas e partindo para a parte boa e sem sangue, vamos para o vídeo? Nele falei sobre a qualidade, sobre os tamanhos e sobre o que achei que era legal ou não.


Os Itens Citados (porque ninguém merece caçar eles nos sites enormes, né? hehe)

Você já comprou em alguma loja chinesa? Em qual? Achou que valeu a pena? Foi taxado? 

Comente com o Facebook:

3 comentários

  1. Mari, que lindo seu post. Sempre vejo o pessoal comprando na china e, pelos preços, só consigo pensar em trabalho escravo ou péssimas condições de trabalho. Legal ver vc se preocupando com isso. Mas de qualquer jeito tenho muitos problemas em comprar roupas pela internet (experimentando já é difícil) e preguiça pelo tempo de espera.
    www.issoaquiloetal.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Adorei algumas roupas e outras nem tanto, e eu também gosto de comprar pela internet ^^. Mas queria ver contigo, caso eu compre para o outono/inverno desse ano por exemplo na Romwe, eu vou receber para usar ainda esse ano ou vale mais a pena comprar no verão para usar no inverno do ano que vem?

    ResponderExcluir
  3. Estou completamente apaixonada pela saia florida e o vestido de cinderella, são lindos. Acho que vou aproveitar o fato de que quero usar mais saias e me dar a primeira.
    Se fizer mais comprinhas assim faz outro video Mari?

    xx

    ResponderExcluir

Copyright © 2014 - marianasantarem.com.br - Todos os direitos reservados. LAYOUT E ILUSTRAÇÃO POR KÊNIA LOPES. PROGRAMAÇÃO POR SUGAR DANCE.