12 janeiro 2015

Carta do Mês: Janeiro

Pela primeira vez na minha vida, a virada do ano trouxe o sentimento real de que um capítulo se fechava. Claro que sempre há uma comemoração, uma agitação, que precede a mudança dos dígitos que escrevemos no final de uma data. Ainda assim, jamais foi tão forte em mim a emoção de fechar um livro da minha vida, virar uma página, começar novamente e todas essas outras metáforas já clichês que anunciam que algo velho se encerrou e algo novo vem em frente.

Ao observar os fogos de artificio subirem e se expandirem no céu, meu próprio coração queimava e brilhava com a sensação de algo entrando em supernova e criando algo novo. Chorei de alívio por me despedir de 2014, por mais que o ano tenha me deixado com uma rede de segurança cheia de amizade, amor, honestidade e sinceridade - foram lágrimas de amargura que me deixavam para dar espaço para essas boas sensações continuarem fortes na minha vida, mas também lágrimas de leveza ao deixar para o passado o que merece morar apenas lá onde as coisas já não existem.

O final do ano me colocou em uma nova batalha e ao mesmo tempo me deu as ferramentas necessárias para passar por essa guerra. Se qualquer situação da sua vida se prolongou mais do que deveria, gostaria de te encorajar a trabalhar em cima da idéia de que algumas relações e coisas tem um prazo de validade menor do que gostaríamos, mas que nem sempre o que queremos é necessariamente o que realmente precisamos. E digo mais: ao descobrir o que precisamos, o que de fato é saudável, muitas vezes passamos a desejar justamente a paz e veracidade que esses elementos nos trazem. É muito fácil desejar a paz, mas muitas mentes doentes a entendem erroneamente e alimentam suas trevas - logo, agora em Janeiro, quero fazer um apelo para que todas procurem descobrir onde de fato está sua paz.

Por mais óbvio que seja, coloque um tempo para fazer uma faxina no seu quarto, no seu espaço, e deixe que essa organização do exterior se reflita no seu interior. Busque se livrar das energias que já deram o que tinham que dar, passe para a frente - tanto metaforicamente quanto literalmente - tudo que está ocupando um lugar que poderia ser de algo muito mais você e muito mais feliz. Dá um belo de um trabalho (ganhei até crise de tendinite ao fazer uma mega limpeza no quarto!), mas também dá um belo de um recomeço para que só exista ao seu redor o que de fato te acrescenta.

Meu saldo limpo foram oitos dias de banho de mar, de cachoeira, rio e chuva. Também foram cinco sacos e quatro caixas de coisas para doar que mandei para fora do meu espaço. Enquanto a água me lavava, pedia sempre para que também deixasse ir embora aqueles sentimentos de tormenta que um dia se fizeram por paz, e que me ajudasse a fortalecer e limpar o espírito para a etapa que chegava.

Hoje, é com orgulho que digo que estou espiritualmente mais limpa e fisicamente mais leve ao meu redor. Nem todo dia será fácil, mas quero tomar aqueles fogos como o exemplo de que a luz sempre irá continuar se propagando na escuridão. E você pode ter certeza absoluta que sua luz, definitivamente, brilhará muito se você abrir caminhos novos e permitir que ela o faça. Pode ser tão simples quanto começar tirando o que não usa do seu armário ou fazendo uma rapa na necessaire, mas uma ação do gênero esse mês é maravilhosa para deixar o novo de fato entrar na sua vida. Tenho certeza absoluta de que estará pronta para qualquer desafio que 2015 traga, pois acredito em você.

Com todo meu amor,
Mari

Comente com o Facebook:

6 comentários

  1. Mari, parabéns pela iniciativa de começar de novo!!! Fico feliz que esteja melhor!!!
    Bjos de brigadeiro: Ana Bel ♡♥
    P.S. Te adoro!!!

    ResponderExcluir
  2. Mari que texto lindo. Não sabe a alegria que tenho no coração, de te ver de volta e com essa limpeza na alma e no coração. Eu amo fazer essas limpezas, essas reflexões que de tempos em tempos são mais que necessárias. Abrir para o espaço para o novo é sempre importante. Amo você =).

    ResponderExcluir
  3. Mesmo não sendo próxima ou uma pessoa que você conhece no sentido literal da palavra te sinto como uma grande amiga é um grande exemplo pra mim. Meu sonho é conversar diretamente com você um dia receber um pouco da sua sabedoria ... Com amor Mary

    ResponderExcluir
  4. Mari, é tão bom te ver bem e batalhando pra ficar bem!

    ResponderExcluir
  5. As vezes leio seus textos e cabe exatamente para mim e isso me ajuda! *-*

    ResponderExcluir
  6. Mari, o segundo parágrafo do seu texto teve tudo a ver com a minha virada de ano.
    Gente, como foi difícil 2014. Chorei de alívio. Chorei pensando "Consegui. CONSEGUI. Nunca pensei que conseguiria".
    Estou feliz demais em saber da sua recuperação, saber que não deixou a depressão te consumir até o limite, saber que tem essa luz brilhando no seu coração, ocupando cada vez mais espaço.
    É bom demais te ver melhorando.
    <3

    ResponderExcluir

Copyright © 2014 - marianasantarem.com.br - Todos os direitos reservados. LAYOUT E ILUSTRAÇÃO POR KÊNIA LOPES. PROGRAMAÇÃO POR SUGAR DANCE.