06 setembro 2013

Robôs Gigantes e Coelhinhos? ~ Outfit do Dia & Círculo de Fogo

Tenho bastante certeza que nunca comentei isso nesses mais de cinco anos de "vida pública na Internet", mas eu adoro robôs. Adoro. Adoro². A-d-o-r-o. Filmes com temáticas sobre inteligência artificial ou ligação homem-máquina são figurinhas carimbadas do que gosto de assistir; desde a relação entre o "sinto, logo existo" de Blade Runner, passando pelas leis firmadas por Assimov para Eu, Robô e culminando no meu destruidor de glóbulos oculares predileto, A.I - Inteligência Artificial. Não confio em que não se emociona em A.I. Nem em que não gosta de Wall.e, já que estamos nessa. #prontofalei

Apesar de ser maníaca pelas histórias que fermentam a discussão sobre sentimentos dentro da robótica e da máquina como indivíduo, um outro gênero de super máquinas povoa minha mente desde que era pequena e assistia Gundam, Evangelion e Guerreiras Mágicas de Rayearth: os mecha, ou robôs gigantes, controlados por seres humanos. Enquanto que no primeiro tipo podemos encontrar vários exemplos Hollywoodianos, o segundo tem poucos representantes foram do ocidente - o primeiro que me veio na cabeça para exemplificar seria Power Rangers, bebendo dos gêneros super sentai, kaiju, monstro-do-dia e mecha tudo em uma grande explosão com poses. 

Usei um outfit que misturou coelhos com o predomínio de vermelho e azul do poster!

Sou particularmente fã de elos mentais entre as mega máquinas e os humanos, como ocorre em Guerreiras Mágicas, e trajetórias cheias de mitologia como EVA. Logo, quando soube que haveria um filme com grande orçamento, dirigido pelo Del Toro (famoso por Labirinto do Fauno, mas que também teve blockbusters em seu currículo como Hellboy), tinha que ir ao cinema assistir. E foi assim que, em uma noite de sábado, fui ao cinema com quatro amigos para poder me divertir com Círculo de Fogo (Pacific Rim).

Algo que vale ser dito é que o filme é super focado no gênero kaiju - "criatura estranha". Kaijus marcaram meus pesadelos infantis graças á muito Godzilla e Kamen Rider e confesso que até hoje me dão mais agonia do que felicidade - mas, ainda assim, é aquele tipo de agonia masoquista que é "bom" de sentir. O diretor sendo um super fã desse tipo de monstrengo, certamente fui carregada de esperanças que ele faria um filme que faria jus aos bichões que não me deixavam dormir durante a noite e acalentavam meu apreço pelo meu Gundam de brinquedo. Mas, mais do que um filme de kaiju, eu ansiava por um filme de mecha vs. kaiju que valesse a pena.

Gosto muito da estética quase steampunk que o diretor confere em vários de seus trabalhos e gostei de encontra-la na tela ao invés do futurismo extremo normalmente ligado ao gênero. Não apenas os designs dos monstros como dos robôs me levou ao ponto de contraste entre ficção e realidade onde eu comprei aquela visão de mundo. Os monstros eram magníficos em seus detalhes e, correndo o risco do pleonasmo, eram realmente monstros monstruosos. Além disso, cada um parecia adaptado para seu lugar de ataque - o que me trazia um senso de desespero dentro da história e fascinação pela equipe técnica responsável. Só imagino os pesadelos do povo que trabalhou para torna-los reais...

Agora, e os robôs? Ah, os robôs não deixaram por desejar! Apesar de eles próprios não pensarem individualmente, há uma ligação entre dois pilotos e cada Jaeger (alemão para "caçador", termo utilizado dentro do universo de Círculo de Fogo para designar os salvadores gigantes de aço) que foi única e muito especial para essa criatura que vós escreve. Não apenas foi uma excelente base para entender as relações humanas na história, como cria uma linha de prata no filme em que percebemos que indivíduos não salvam o mundo. Times salvam o mundo. A união salva o mundo. E, em meio a tanto individualismo no cinema norte-americano, um filme mais focado em "mundo salva o mundo" do que "um país salva o mundo" foi um refresco bem merecido para essa humanista. 

Posando com o Turbo enquanto esperava a seção da meia-noite...

O valor humano, inclusive, foi um dos pontos que mais se destacou para mim. Infelizmente não há um aprofundamento nas histórias dos personagens como acho que seria merecido, e seria irreal dizer que a ação não impera... mas é uma ação que não deixa você, se tiver uma sensibilidade adequada, perder de vista que são vidas humanas dentro dos mecha, nas cidades destruídas. A sensação apocalíptica, se você tiver sua alma e raciocínio voltado para questões que dizem respeito a vida mais do que a ação, é bem poderosa. 

As atuações não são brilhantes, mas não são medíocres. Há momentos de grande destaque, quando uma Mako-criança vê pela primeira vez um kaiju... e essa cena foi poderosa. Junto da metáfora dos sapatos sozinhos, que está em todos os cantos do filme; Del Toro curtiu se agarrar nessa. O embalo cinematográfico se dá com uma trilha sonora de primeira, cortesia de Ramin Djawadi e com guitarras especiais de Tom Morello (guitarrista da Rage Against the Machine e anteriormente da Audioslave).


Joguei "stop" com meus bons amigos - Felipe e Erika nas fotos, e Ana e Mari escondidas - enquanto esperávamos dar a hora do filme 

Gostaria de ter visto mais desenvolvimento pessoal, mas o filme não me decepcionou e nem decepcionará fãs de robozões. A não ser que você ligue muito para cockpits em locais não tão engenhosos... Ai você terá um problema. Mas releve essa parte e vamos focar em como Mako e Raleigh contemplam o coração de seu Jaeger, seus próprios traumas e inseguranças, e os sacrifícios pessoais apesar de suas falhas que caracterizam os heróis em que gostamos de acreditar.

Rundown do Outfit:


  • Vestido: Antix
  • Cardigã: Antix
  • Cinto: Antix
  • Bolsa: Angelic Pretty
  • Brincos: Pokkuru
  • Meia-Calça: Lupo
  • Sapatilhas: Arezzo 

Certamente eu poderia comentar muito mais a fundo vários detalhes e percepções do filme, mas isso pediria um texto ainda maior e não sei o quão abraçado isso seria nessa altura do campeonato... No entanto, fica aqui: assista Pacific Rim. Especialmente se você gosta de robôs, monstros e de cancelar o apocalipse.


Comente com o Facebook:

7 comentários

  1. Olá Mariana , parabéns pelo blog! Estou tentando falar com você já faz um tempo.
    Meu nome e Luana Araujo,21 anos e sou designer de blogs , eu fiz o blog da da Thabatta Campos,Pam Puertas, Sisters Lellis, Gabi Mayal, como referencia pra vc caso conheça, e caso vc tenha interesse em mudar o layout do seu me retorne , segue o link do meu blog pra vc dar uma olhada nos trabalhos!
    http://luanaaraujodesign.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Mari eu, como a pessoa má q sou ja começo esse comentarii acabando com uma certeza da sua vida... Vc ja falou q ama robos TAN TAN TAAAAAN Ok chega de drama, mas em um video q vc fala q queria faz tempo comprar uma bolsa de uma mulher q eu nao sei quem era, ais vc falou q gostava do estilo dela pq as bolsa sempre lembravam robos e q vc tinha finalmente achado uma para chamar de sua, foi nesse video q vc confessou seu amor <3 eu adorei acho q vc realmente tem futuro como critica de filmes. Eu apoio, alias dona Mari esta viciada em uma certa bolsa da Angelic Pretty mas é nosso segredo eu tambem amo ela

    ResponderExcluir
  3. Puxa, eu simplesmente quis matar o meu marido por me levar ao cinema para assistir a Robôs X Alliens!rs
    E olha que eu sou muito eclética, gosto de quase tudo quanto é gênero de filme, temática, enfim...No começo do filme, eu queria morrer!!! Mas depois ficou melhorzinho...E quanto ao fato de a união salvar o mundo e que não ter o individualismo imperando ali, discordo em termos...Reconheci na hora aquele discurso à la "Independece Day" do líder Stacker Pentecost, que, por acaso, era negro (qualquer semelhança com o presidente dos EUA é mera coincidência).

    Mas adoro stop e Wall.e! =)

    ResponderExcluir
  4. Eu tbm sou fã de mechas, robo e cresci com meu pai lendo Asimov para mim e me mostrando Macross, desde os 3 aninhos! Dentre tds os animes e mangas que eu li Evagelion ainda é o meu preferido ^^ principalmente pela história e pelas "estética" dos robos!(embora goste muito de colecionar Gundam tbm! XP) Sou apaixonada pelos filmes do del Toro mas este filme ,em particular, não me agradou, exceto pelos efeitos especiais, pq a equipe de 3d deu um show juntamente com os concepts. Porém no restante achei que deixou muito a desejar principalmente na história, que no geral é boa, mas foi estragada por alguns atuais clichês hollywoodianos (precisava ter aquele geek tosco todo tatuado?A mina toda dengosinha espiando macho pelo buraquinho da porta alem de a todo momento ficar choramingando e ter macho brigando para protege-la,para completar colocarão uma péssima atriz para interpretar uma personagem clichê atual, menininha disfarçada de mulher macho. Acho que o melhor ator do filme tdo, foi a pequenina que interpreta ela qud criança.Outra coisa que me incomodou bastante foi apanhado de "inspirações" que eles colocaram, tinha muita cena realmente boa mas que saíram de muito anime e de outras coisas até mais antigas. Faltou um pouco de criatividade ou no minimo reciclagem. Gosto de cenários steampunks, mas teve coisa que ficou forçada e não natural.Achei que o filme se estragou pelas sua forma vendida,do tipo: "tah na moda geek? Steampunk?Hispster? Vintage? Mulher macho, mas que no fim não serve para nada? Homem bombadinho sem camisa? Ótimo! coloca tudo junto e misturado e vamo que vamo". Claro que não acho que foi tudo idéia exclusiva do del Toro, mas que foram exigencias de "superiores", como todo filme tem. Em fim, Americanos e suas americanices... Mesmo assim, continuarei a amar del Toro imagino que deve ser duro para ele se adequar a essas americanices!

    E o seu look ficou um charme! ^^
    Bjus amo seu blog! S2

    ResponderExcluir
  5. Adorei o look,tbm sou fã de rôbos toda vez que assisto A.I. choro feito um bêbe rsrs.

    ResponderExcluir
  6. Oi Mari, eu sei que não tem nada ver com o post, mas aqui foi o único lugar que encontrei pra falar contigo. Acabei de ganhar um kobo dos meus pais, queria saber um site legal para baixar os livros, principalmente os de Harry Potter! Desculpa o incômodo, mas obrigada desde já! Beijinhos! :*

    ResponderExcluir
  7. Nossa amo esse estilo de filmes e já assisti todos estes da sua lista, agora vou assisti o que esta em questão na critica, fiquei morrendo de vontade de ver. Amei seu post, bem escrito, o seu blog é um dos poucos que tem de posts enormes que consigo ler tuuuudooo, pq é sempre bem escrito e o assunto sempre muito interessante, parabéns, bjs

    http://angelimcosmeticos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Copyright © 2014 - marianasantarem.com.br - Todos os direitos reservados. LAYOUT E ILUSTRAÇÃO POR KÊNIA LOPES. PROGRAMAÇÃO POR SUGAR DANCE.