24 março 2012

Jogos Vorazes, o filme

Admitidamente, quando procurei ler Jogos Vorazes pela primeira vez eu estava procurando um placebo para Harry Potter. Mas o que encontrei foi uma trilogia inteligentíssima, com uma protagonista feminina forte e complexa (algo escasso na literatura atual), um contexto sociopolítico orquestrado com maestria, personagens interessantes e psicologicamente muito bem estruturados e, para completar, um estilo de escrita que me deixou na beira de um ataque de nervos cada vez que virava a página.

Logo, eu estava ao mesmo tempo animada e receosa quando entrei na estréia de Jogos Vorazes no cinema ontem. Como fã de carteirinha de diversas séries e trilogias que se originaram de livros e foram para as grandes telas, eu temia um espetáculo de Hollywood que diluísse o conteúdo e o mastigasse de maneira à torna-lo mais "facilmente digerido", zombando da inteligência de alguém que entendeu de fato os livros. Mas, para meu completo deleite e surpresa, o que encontrei foi a melhor adaptação livro-filme que já tive o prazer de ver no cinema.


O diretor Gary Ross fez um trabalho incrível com as rédeas das câmeras: o estilo típico de Hollywood, com grandes tomadas aéreas, o medo de closes e experimentação deu espaço para muita filmagem feita literalmente na mão, usando de técnicas intimistas sempre que Katniss está em cena e temperando tudo com a dose certa de adaptação de roteiro para semear os próximos dois livros.

Mais do que todos os outros pontos louváveis da adaptação, o que mais merece ser clamado foi o fato que Ross não transformou tudo em um circo e conseguiu se manter fiel a mensagem do livro. Os Jogos em si não se transformaram em duelos de ação sem motivo, e sim uma experiência depressiva, assassina e cruel. Na hora em que os tributos estão ouvindo a contagem regressiva do início dos jogos, reunidos em volta da Cornucópia, meu coração batia pesado para cada número: eu me sentia desesperada, na arena. E o que é o cinema se não um meio de nós sentirmos envoltas na história? Senti o bombear do sangue dentro do meu peito enquanto queria sair correndo de medo dos jogos. Me senti um tributo. Perfeito.

Obviamente não é apenas a direção que merece cumprimentos extasiados: maquiagem e figurino estavam fora de sério (e é claro que vocês podem esperar um tutorial da Effie para em breve). A fotografia e cenografia estavam incríveis e captaram cada pequeno lance de tensão que deveria existir nesses dois aspectos técnicos. A sonografia, por sua vez, foi um capítulo a parte para minha experiência: a maneira como o som foi trabalhado de maneira que pudesse ouvir como a Katniss ouvia os sons ao redor, seja na hora da entrevista pré-jogos ou durante a explosão que fere seu ouvido, foi fantástico.

E, claro, há as atuações. Jennifer Lawrance estava fantástica em Inverno da Alma, e provou que seu dom não foi mera sorte do acaso: Katniss tomou vida na tela. Uma dose de bravura melancólica, uma força interior misturada com inocência - e a dor dessa última sendo perdida para a Capital. Aquilo é uma atriz que promete. Josh Hutcherson tinha nos olhos a exata expressão que imaginava em Peeta. Elizabeth Banks conseguiu criar Effie através das microexpressões ideais e lhe deu um ar humano maravilhoso em cada pequeno detalhe de sua atuação.

Eu poderia ir de ator para ator falando de seus méritos, e no entanto é o conjunto da obra que devo louvar aqui. Desde personagens que mal tem falas, como Cara de Raposa, até a delicadeza dos breves momentos de Rue, passando pelos relances de Snow que temos a chance de ver em filme. Tudo fluí como deveria para respeitar o material de origem: e fluidez, por sinal, é o que caracteriza o tempo de filme. Mais uma vez, ao não se render para o lado das explosões e sangue gratuito, somos brindados com um ritmo que respeita cada fase e etapa e dá espaço para um desenvolvimento psicológico necessário para a captação das mensagens.

O público é a parte que me decepcionou em todo o cinema: a quantidade de garotas que davam berros sempre que Gale ou Peeta entravam em cena era ridícula em todos os sentidos da palavra. Jogos Vorazes é uma série que, apesar de ter protagonistas jovens, falam de temas muito adultos e complexos: ver o filme apenas por achar que um triângulo amoroso é interessante em cenário de guerra é ter usar o poder da mente de forma medíocre, talvez possa dizer até mesmo que burra, e não entender a força vital da história.

Esta primeira parte da trilogia já é um mergulho na piscina funda que Suzanne Collins criou. É um desfavor a própria inteligência querer compara-lo com Crepúsculo, que é uma série de romances que apresenta uma protagonista Mary Sue e anti-feminista e nada auto-suficiente. Já em JV, há todo um pensamento e arquitetura que dão vazão para um fluxo de temas políticos, econômicos e sociais que podem se relacionar a sociedade contemporânea. O amor fora do sentido romântico, e sim visto como mais abrangente, é uma matriz da força apresentada na heroína, e o romance é uma pincelada de um cenário muito, muito, muito maior.

Por tudo isso e mais, vá ao cinema ver Jogos Vorazes. Leia os livros e permita-se mergulhar no quase ataque cardíaco que eles proporcionam. E que a sorte esteja sempre a seu favor.

Comente com o Facebook:

47 comentários

  1. Me deixou com mais vontade ainda de ler os livros e ver esse filme! Nunca tinha ouvido falar de Jogos Vorazes!

    ResponderExcluir
  2. Quando eu vi o trailer no cinemas, achei um pouco demais compararem a minha série favorita, Harry Potter. Mas agora estou super ansiosa para ver o filme, e se for mesmo bom, quero ler os livros também. :3

    ResponderExcluir
  3. O que você achou da trilha sonora, mari? Tocou Safe & Sound/Eyes Open ou as músicas só passaram nos créditos?

    ResponderExcluir
  4. Estou anciosa para ver Jogos Vorazes mesmo esse não sendo o meu gênero favorito :)
    Bjinhos Mari
    Gente, passa no meu blog, vcs vão gostar

    ResponderExcluir
  5. EU VI JOGOS VORAZES E AMEI TUDO! O filme mais perfeito que já vi na minha vida!

    Eu não li os livros e só conhecia a história por alto, mas o filme foi maravilhoso, parecia que eu estava com a Katniss em cada momento, sentindo toda a dor, angústia e medo que ela sentia, foi muito bom, recomendo pra todo mundo ver.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Concordo com absolutamente tudo sobre Jogos Vorazes, mas achei meio superficial a sua visão sobre a Bella. Dizer que ela é antifeminista é como considerar Harry Potter escapista apenas por se passar num mundo extremamente fantasioso: é não enxergar a essência do personagem, só a superfície. Enfim, minha opinião, óbvio!
    Agora é sofrer até a estreia de Em Chamas!!

    ResponderExcluir
  7. @Ana Clara

    Ana, O QUÊ a Bella faz que pode fazer dela algo que não uma anti-feminista? E o que faz a relação dela com o Edward ser qualquer coisa que não uma obsessão nada saudável?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Feminismo para mim é liberdade de escolha, seja lá qual for a sua e o que a faz feliz. Ela fez todas as escolhas dela conscientemente, de acordo com o que ela achava. Isso não é antifeminismo na minha concepção.
      É a mesma coisa se uma mulher decidir que quer se dedicar aos filhos hoje em dia: não é o que EU faria nem o que a sociedade preza numa mulher hoje, mas é o jeito de viver que a satisfaz.
      Ficou meio confusa a explicação xD
      Mas só acho que temos conceitos e interpretações diferentes, e isso é muito pessoal.

      Excluir
  8. Fiquei feliz, estava com medo do filme ser muio inferior ao livro, mas depois disso posso ficar tranquila enquanto espero poder assistir ao filme.
    Uma vez pedi que fizesse algo falando sobre o livro The hunger games, pois eu havia lido e gostaria de saber sua opinião sobre o final da série, eu na verdade me decepcionei um pouco como as coisas terminaram, mas não sei se posso dar minha opinião aqui e dizer spoilers para quem ainda não leu.
    Confio muito em sua opinião e estou animada para assistir também.
    Beijão Mari

    ResponderExcluir
  9. Ah, mais uma coisinha, quem ainda não leu os livros, leia...
    De tudo que já li até hoje os 3 foram os melhores, mesmo tendo uma vontade tentadora de pegar Suzanne Collins pelos ombros e dizer:
    -O que você está pensando? hahaha.

    ResponderExcluir
  10. Ainda não li os livros, nem vi o filme... Mas agora a vontade aumentou!
    Mari, já leu a trilogia Millenium? Eu amei!

    ResponderExcluir
  11. Nossa, você não sabe o alívio que me deu! Depois de decepções monstro como Eragon e Percy Jackson, criei um escudo contra adaptações de livros.
    Mas se você gostou e ainda enumerou tantos motivos para os fãs não terem dúvidas, vou de coração mais leve pro cinema... só espero que eles conservem a tensão e a amargura que são constantes nos próximos não é?

    (*----*)////

    ResponderExcluir
  12. Estou lokaaa para ver ^^ flor eu amoo os seus videos, e será q eu poderia pedir para vc fazer um make da Demi Lovato? é q eu adoroo ela ^^
    B.E.I.J.O.S

    ResponderExcluir
  13. Oi Mari, eu comecei a ler Jogos Vorazes quando John Green fez uma crítica incrível falando sobre esse livro no nytimes.com, e estou muito contente de ter corrido atrás e lido mesmo em inglês! De lá pra cá eu venho insistindo para meus amigos lerem a trilogia, eu até emprestaria da minha coleção (eu sou muito invejosa na hora de emprestar meus livros favoritos, hehe), mas só duas amigas leram (e amaram!). Espero que depois de verem o filme, mais gente se interesse em ler os livros.
    A única coisa que eu não gostei do filme nem foi o filme em si, foi o comportamento imbecil de um grupo de garotas adolescentes sentadas nas duas fileiras atrás de mim. Eu reclamei com o pessoal do cinema, e eles não fizeram nada... Tá que eu fui na primeira sessão, mas isso não é desculpa pra esse comportamento tão ridículo num local público! [/fim-do-desabafo] DFTBA!

    ResponderExcluir
  14. @Ana Clara

    Feminismo é muito mais do que liberdade de escolha - essa é a desculpa que a própria Meyer usa para dizer que a Bella não é anti-feminista, e é uma desculpa derrubada pela leitura de qualquer literatura feminista.

    Mais do que isso, em vários trechos do livro ela descreve como parece que ela NÃO TEM ESCOLHA quando o assunto é o Edward. Como se o "amor" que ela sentisse deixasse de lado tudo o mais, apenas para ser vivido. Isso é obsessão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando a Bella admite que ficar com o Jacob seria 'fácil como respirar', essa possibilidade se torna sólida. Imaginar como seria a vida deles, os filhos, não ter que se tornar vampira e não abandonar as pessoas amadas e mortais, isso transforma o Edward numa escolha (que é difícil e pela qual a Bella sofre muito). Aliás, o livro Eclipse inteiro trata dessa escolha, e um pedaço de Lua Nova.

      A essência do feminismo a meu ver sempre foi a liberdade da mulher de escolher. E não podemos esquecer que nem sempre a escolha 'certa' para a mulher é a que o feminismo antigo defendia. Afinal de contas, se nós nos apegarmos às raízes reais do feminismo à la Gloria Steiner, nós duas somos antifeministas por usar sutiã e amar maquiagem hehe! (mesmo o nosso objetivo sendo nos sentir bem conosco mesmas)

      Excluir
  15. Nossa assisti ao filme também,e a cada minuto sentia que fazia parte das cenas,sentia o medo e ficava aflita com cada passo que katniss dava,foi um filme com duas horas e meia mas pareceu acabar tão rápido.É isso que todos nós queremos filmes que nos levam a querer não sair da sala,ficar lá querendo mais.Não sei se aguentarei esperar até os outros filmes mas ja estou anciosa para poder assistir!Adorei o seu post Mari parece que vc tbm sentiu as mesmas coisas que eu1

    ResponderExcluir
  16. Oi, Mari! Também sou fã de Hunger Games, mas não gostei muito do filme.

    Como o livro é pelo ponto de vista da Katniss e o filme não, acho que perderam muitas coisas.
    No filme, pelo menos ao meu ver, ela acabou parecendo uma garota séria e que por sorte sabia caçar e com isso conseguiu sobreviver, enquanto que pelo livro você sabe o quanto ela passou dificuldades na vida e que por trás da máscara que ela criou para os jogos estava uma mente estrategista e atrás de sobrevivência, o que a tornava uma personagem boa e egoísta ao mesmo tempo.
    Entendo que é uma adaptação e que coisas precisam ser cortadas, mas achei o filme superficial em vários pontos. A miséria passada pelo Distrito 12 não foi mostrada (ok, passaram umas casinhas e umas pessoas sujas, mas nada do que realmente é), e relações importantes como a da Katniss com o Gale (mostrar que ele também ajudou ela a sobreviver, enquanto que no filme pessoas que não conheciam o livro achavam que ele era somente o namoradinho dela), com o Cinna (ele é um exemplo de que nem todos da Capital aceitam aquelas condições, e se torna um personagem importante com o tempo) e principalmente com o Haymitch (era importante mostrar ele bêbado e irresponsável, enquanto que no filme foi uma versão bem light do que é no livro... era importante porque precisam entender que você ganhar os jogos não significa que conseguirá viver uma vida normal) e também com sua mãe (várias pessoas ao meu redor perguntavam por que a mãe ficava calada, não deu a entender que na verdade era a Katniss quem sutentava a família e tinha de ser a pessoa forte da casa, e não a mãe).
    Outras coisas também como o significado dos três dedos na boca e o do mockingjay, ninguém entendeu isso.
    Não vou nem falar dos efeitos de sessão da tarde e da falta de brutalidade que era necessária para mostrar como as pessoas viviam lá. As mortes na arena mal derramaram uma gota de sangue, e sei que não é necessário uma coisa explícita, mas achei... superficial.
    O acontecimento com a Rue, por exemplo, que no livro sempre me leva às lágrimas, no filme nem ao menos me comoveu. Por que? Porque você via e pensava 'Ah,tadinha, é uma criança e aconteceu isso... :/' e não que aquela garota, tão pequena, tinha de trabalhar e passar fome para ajudar sua família, que a vida dela conseguia ser pior do que a da própria Katniss.
    Também não gostei de não terem deixado CLARO que o romance (da parte da Katniss) era falso, só para o público, e de não terem explicado direito o flash do pão (minha mãe achou que ele era mau porque jogou o pão dos porcos na chuva pra ela enquanto era filho do padeiro e comia um monte, eu tive de explicar o que na verdade tinha acontecido)

    Mas o que mais me chateou foi que não senti a força que a personagem me passou pelo livro... Novamente, SEI que é uma adaptação, mas eu esperava mais.

    Gostei de ver cenas que imaginei na tela, e acho que quem leu os livros foram os que gostaram mais do filme, e me desculpe pelo comentário gigante, mas vi o filme com quatro pessoas da minha família que não leram o livro e que eu não expliquei nada, e elas não entenderam vários pontos mal explicados.

    O filme poderia passar uma imagem da injustiça e da luta por sobrevivência pelo outro lado, mas isso foi cortado para que mais pessoas pudessem ver e torcer por "team peeta" ou "team gale", tirando grande parte da mensagem importante passada.

    Novamente, desculpe o desabafo!

    ResponderExcluir
  17. depois desse mega post vou ter que começar á ler os livros
    me convenceu
    jussara

    ResponderExcluir
  18. ai mari eu amo as coisas que vc escreve sabia, te admiro demais, eu to começando agora com essas coisas de blog, canal no youtube, queria tanto que vc me desse algumas dicas, eu ia ficar muito feliz,,,
    meu blog é o
    http://batomecoracao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Mari, como sua seguidora fiel preciso falar algo um tanto chato, eu fiquei um pouco (muito) magoada quanto ao seu comentário sobre a Bella, concordo com a @Ana Clara, ela fez suas escolhas conscientemente, mas não é esse o real motivo que me tirou do anônimato, de navegar tranquilamente sem ter que me expressar, o real motivo foi: a forma como você respondeu os comentários adversos a sua opinião, ao meu ver - pelo menos o que os mesmos me passaram - foi: INDIFERENÇA, FRIEZA para com as meninas que te gostam, admiram e até se espelham em você, eu era uma dessas meninas, que sempre te viu como uma pessoa meiga, fofa, sincera e não apenas mais um rostinho bonito na internet, e sim alguém com bom senso e caráter, não que por causa do seu comentário você tenha deixado de ter essa imagem, jamais! Mas eu fiquei decepcionada com a forma que você respondeu o comentário da @Ana Clara, por exemplo, com muita frieza - no meu ponto de vista - que em nada me lembrou a viiixxxen do Youtube, fofa. Sei que meu comentário pode não ter importância para você - afinal são mais de 30 mil seguidoras, não? - e talvez você nem o lerá, mas eu me senti na obrigação de me pronunciar, porque te acompanho desde o começo e isso foi algo que me chateou muito. Pode ser ''invenção'' da minha cabeça, mas estou sendo muito sincera nesse comentário, espero que não me leve a mal, gosto muito de você, mas é a minha opinião :s

    ResponderExcluir
  20. @Carla Barfknecht

    Carla, eu sinto muito se você achou fria minhas respostas! Não foi minha intenção, de modo algum, ser muito "dura" ao mostrar meu ponto de vista!

    Pode ter sido em um dia cansado e que eu me exaltei, embora eu consiga ver como poderia ter exprimido minhas opiniões de modo mais suave.

    E CLARO que seu comentário terá importância. Não é a quantidade que faz algo valer, e sim o seu conteúdo. E eu acho super válido alguém me avisar que eu poderia ter sido mais aberta, mais suave, ao dizer algo. Por isso, eu agradeço pelo toque! Minha opinião sobre a Bella como personagem continua firme, mas eu com toda a certeza tentarei explica-la de maneira mais calorosa.

    Obrigada por se importar o suficiente para escrever um comentário tão carinhoso quanto esse. Porque é carinho PURO você dar um toque desses em alguém, e eu agradeço de coração! Vou lembrar de você sempre que for falar sobre o assunto novamente!

    ResponderExcluir
  21. Mari, ainda não vi o filme. Provavelmente, só assista na próxima semana, qdo a turbulencia da mudaça passe. Mas já li o livro e me encantei com a narrativa e o assunto abordado. Como falou, o livro trata de assuntos que estão aí, no nosso dia a dia.
    Com certeza, é uma ótima pedida pra todos. Mas que vai muito além de HP e Crepúsculo.

    ResponderExcluir
  22. Oi Mari! Eu assisti ao filme no sábado e não estava esperando gostar, fui preparada para assistir um filme qualquer, mas eu amei! Quer dizer, achei muito violento, mas tinha propósito e me senti dentro do jogo. Os personagens também são muito carismáticos. Achei interessante a mensagem do filme... Só tenho medo desse "triângulo amoroso" que parece surgir se tornar algo desnecessário e de adolescente, como crepúsculo.

    Eu fiquei com muita vontade de ler os livros e estou quase saindo agora para comprar o primeiro! rs

    Beijos

    ResponderExcluir
  23. Só pra terminar o assunto, Carla, nós pelo jeito somos suspeitas pra falar da Bella hehe!! (pelo que entendi também é fã)
    E Mari, nós discordamos em tudo relacionado a esse assunto, mas foi bem legal saber a sua opinião. É sempre enriquecedor conversar com quem pensa diferente :)
    Continuo sendo admiradora do blog e do canal!

    ResponderExcluir
  24. Geeente, tá todo muuundo comentando sobre esse filme e esse livro!!
    E eu, a mais alienada do mundo, não sabia do que se tratava até semana passada! Ok, ok, me rendo, vou sair correndo atrás rsrs
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  25. SOu fãzona dos livros tb, mas achei que várias coisas no filme ficaram soltas: olance de Peeta jogando o pão, o romance dos dois que era fake, a personagem Rue e seu envolvimento com Katniss.
    Mas mesmo assim, gostei do filme.

    ResponderExcluir
  26. Ah, outra coisa: ODEIO a crepusculização que estão tentando fazer de Jogos Vorazes. ODEIO!

    ResponderExcluir
  27. Ah, essa é a Mari que eu conheço. *-* Confesso que fiquei um pouco nervosa ao vir até aqui ver se você tinha me respondido, fiquei um pouco insegura pensando que talvez você não tivesse me respondido, ou me respondido friamente, mas você me respondeu com tanto carinho, obrigada mesmo Mari por não ter me entendido mal, por ter aceitado a minha ''critica'' com certeza você continua sendo minha guru brasileira favorita. Ah, e eu vi o filme - finalmente - e achei realmente muito bom, *-* você poderia fazer alguma maquiagem da Katniss, a 'Girl on fire' adoraria ver, obrigada por aceitar a minha crítica, e me sinto muito feliz por ter tirado um tempinho de me responder e dizer que vai se lembrar de mim quando for falar do assunto, beijos *-*

    ResponderExcluir
  28. Mari, assisti o filme ontem.
    Nossa, fiquei bem decepcionada, estava com tantas expectativas e achei o filme realmente muito inferior ao livro. Deve ser porque goto muito dos livros e não sei, mas eu realmente esperava mais :(.

    ResponderExcluir
  29. Se eu já gostava do seu canal antes, mesmo anonimamente, sabendo agora que você gostou de Jogos Vorazes passei a gostar muito mais e a tomar coragem de comentar haha Também superou minhas espectativas. Estava receosa porque os livros são perfeitos... O filme falhou em alguns detalhes, mas eu realmente gostei dele. Fiquei encantada e estou para ir no cinema repetir a dose ;) Parabens pelo blog. Me apaixonei por tudo aqui. Beijos e sucesso

    ResponderExcluir
  30. Gostei da sua resenha :) Quero bastante ver o filme, mas na roça que é minha cidade... Pois é... o público sempre decepciona, é incrível. Sempre tem as menininhas gritando pelos caras bonitos, só prestando atenção no tanquinho e não na história e no talento deles. É até triste .-.
    Mas, já que a @Ana Clara tocou no assunto Crepúsculo... é uma série da qual eu gosto bastante até, embora a Bella seja a personagem mais plana que já vi em toda a vida. Não acho que ela seja antifeminista, assim, na lata... A saga fez sucesso por retratar o "sonho" de adolescentes do mundo inteiro: são poucas as meninas que não se sentem sem graça, sem sal, sem açúcar (a Bella de fato o é, as meninas reais, nem sempre) durante a adolescência. é muito difícil construir uma boa auto-estima (e sem ser exibida) aos 16, 17 anos, sabendo valorizar o que realmente tem de bom dentro de si, principalmente quando o garoto que você gosta a rejeita e tudo mais. Crepúsculo veio para mostrar que por mais que a Bella ( ou a garota que esteja lendo) tenha defeitos, existe um tipo de amor verdadeiro que vai valorizar as qualidades. é um grande exagero, claro. Mas ainda assim, é uma bonita história de amor, pelo menos eu acho ;p
    Enfim, adoro seu blog, seu canal e tudo mais.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  31. Você foi tagueada no meu último vídeo, sou um grande fã sua e te admiro muito, se você quiser responder, é só entrar nesse canal: maniasetruques - TAG: Desafio das 50 perguntas aleatórias!
    Um super beijo =**

    ResponderExcluir
  32. Fui ver o filme ontem e me apaixonei *-* quero muito ler o livro! Feliz Páscoa. E, falando nisso, fiz um post sobre os perigos de dar chocolate para cães e gatos - coisa que muita gente faz, infelizmente, em especial na Páscoa. Como sei que você também se preocupa com o assunto, achei legal dividir | cadeomeupincel.com.br (: Beijos!

    ResponderExcluir
  33. Preciso comprar a trilogia... achei o filme maravilhoso, agora quero ler os livros!!!
    O bom é que ficou claro para mim (não li ainda os livros) que vai ter uma sequencia, e se ele foi tão fiel quanto você diz... nossa!! estou ansiosa pra ler mesmo!
    Ainda bem que não foi algo percy jackson, em que destroem toda a história que é demais do livro, mas fazem um filme bom que quebra a possibilidade de ter uma sequencia como acontece com os livros. Ótima crítica!

    ResponderExcluir
  34. Achei seu canal do youtube por acaso e quando fui perceber já tinha visto vários vídeos.. rsrsrs

    Adorei o blog, você escreve muito bem! Jogos Vorazes já está na minha lista.. rs

    ResponderExcluir
  35. Olá Mari! :)
    Eu comecei a ler Jogos Vorazes apenas alguns dias antes de estrear o filme, e já tinha me apaixonado pelo livro! Eu adorei a mensagem que o livro transmite, e sinceramente, eu senti que atualmente as pessoas estão agindo como as pessoas da Capital, que a Suzanne Collins queria passar a ideia de que a Capital fosse nós mesmos, apesar de que eu também senti como se eu estivesse na pele da Katniss!
    O filme eu adorei, parece que foi como se o filme que eu havia feito na minha cabeça quando o lia o livro, tivesse passado para as telas! Eu só gostaria que eles tivessem dado um pouco mais de tempo para Rue, pois no livro elas criaram um vínculo muito forte, e Rue contou uma parte de sua história, o que fez com que Katniss confiasse e admirasse muito mais ela. Mas no final eu realmente gostei do filme, acredito que o filme conseguiu passar a real mensagem, de que talvez o que foi transmitido nas telas, poderá estar futuramente acontecendo com a gente, talvez não de um modo tão cruel e violento, mas que as pessoas estarão tão alienadas, tão entretidas na vida alheia, que elas nem perceberão mais a liberdade de expressão e oposição que foi tirada delas.
    Beijos Mari, te admiro muito! :)

    ResponderExcluir
  36. Que invejinha ainda não vi o filme mais ja li todos os livros o final e tão lindo por favor,pelo amor de deus mim falei como foi aquela cena emocionante entre a katiniss e a rue eu chorei lendo ela no livro foi tão perfeita

    ResponderExcluir
  37. adoro a personalidade da katniss não e iqual a essas mocinhas indefesas que ja ta ate ficando cliche ela e forte.determinada e tb não fica esperando o heroi salva ela,ela propria se salva rsrrssr

    ResponderExcluir
  38. Olá Mari!!! Por andas tu, tão desaparecida?

    Eu amo, amo amo os teus videos e blog!!! Queres ver o meu blog bem bem português? Passa por lá:

    ninimakeupandthings.blogspot.com

    ResponderExcluir
  39. fui assistir ontem ( O lorax ) no cinema , e tbm tava passando Jogos Vorazes!
    bjsss

    ResponderExcluir
  40. Mari olha essa marmota aqui. Mari o que ela ta falando muitas meninas podem até fazer em relação a falar bem do produto mesmo não gostando, mas ela achar que isso não pode ser considerado como trabalho? Vocês gastam tempo(fazendo o vídeo, pesquisando novas tendencias), energia da sua casa, e muitas outras coisas. É cada marmota que aparece!
    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=9mdJ-q8CrhE#!

    ResponderExcluir
  41. Eu amei os livros. Li compulsivamente como se não houvesse amanhã... Achei incrível, estávamos precisando de alguma coisa neste nível na minha opinião. Odeio a série Crepúsculo, dormi praticamente os filmes todos. Sim, eu tentei ver mas não rolou. Já Jogos vorazes, OMG!!! Vi o filme duas vezes e quero ler os livros novamente todos os dias. É perfeição até o limite do que se pode existir... Depois de Senhor dos Anéis, a melhor trilogia que já existiu e acho difícil algo que a supere...

    ResponderExcluir
  42. Fiquei muito feliz com essa review. A parte do público foi exatamente o que eu tentei explicar para muitas pessoas, sem sucesso.

    Li os livros após assistir o filme, o que talvez tenha sido uma coisa boa, porque não me deixou com expectativas muito altas do filme, e eu adorei ambos.

    :))

    www.doobvioaoavesso.blogspot.com

    ResponderExcluir
  43. Achei, como você ,o filme de jogos vorazes o melhor de todas as adaptações para o cinema de um livro . Infelizmente parece que a população em geral não tem a capacidade de entender o verdadeiro sentido de toda estoria . Compararia eles ate aos personagens da Capital , que nos jogos vorazes em meio a todo sangue e morte só conseguiam se importar com a grande novela em que aquilo se transformava . Achando interessante o romance fantasioso e as roupas fabulosas . Apenas um espelho cruel da nossa sociedade

    ResponderExcluir
  44. Vi o filme, é muito bom mesmo. Fiquei com vontade de ler os livros agora.

    ResponderExcluir

Copyright © 2014 - marianasantarem.com.br - Todos os direitos reservados. LAYOUT E ILUSTRAÇÃO POR KÊNIA LOPES. PROGRAMAÇÃO POR SUGAR DANCE.