17 dezembro 2014

#LutandoComVocê - Dia 1


Ontem terminou um relacionamento no qual entreguei todo meu amor, coração, luz, alma e corpo. Fiz isso desejando que aquela entregue fosse aceita e que aquela pessoa fosse a companheira da minha vida. Vi meu futuro com ela, e me era dito que era recíproco. Foram dois anos de tentativas, e ontem fui deixada por outra pessoa pela segunda vez. Dói de modo excruciante, especialmente porque todos viam como eu estava feliz e agora não há maquiagem, efeito especial ou algo que esconda o que está passando dentro do meu espírito. Me sinto tolhida pela idéia de que a dor me domina, mas uma das poucas coisas que pensei que poderiam me ajudar no momento de verdade é escrever. Estou escrevendo em um caderno, mas quero ir um pouco além. Quero que de alguma forma essa situação horrível possa fazer a situação horrível de alguém menos pior. Então aqui vamos nós.

Estou tentando ver os consolos do momento, e um deles é o amor de vocês. Já me abri aqui sobre ter depressão, mas agora abro o jogo - na esperança de que eu me sentir sozinha, mesmo cercada de milhares, te faça sentir menos sozinha em qualquer que seja sua situação - de que estou no ponto mais alto de dor que já tive. Se estou escrevendo aqui, não é porque quero preocupa-las. É porque quero que sa
ibam que estou lutando contra algo e que, se vocês estiverem também, não se sintam sozinhas.

Sabe quando você vai ao pronto socorro e te pedem para enquadrar a dor entre 1 e 10? Acho que dores físicas podem chegar até o 10 mesmo, aquela dor em que te sedam. No momento parece que meu espírito está rachado. Nem sedação, nem dormir, nem nada o acalenta. Eu daria 11.

Estou tentando pensar nas maneiras de lidar com isso. Estou na terapia (consulta hoje com meus pais, inclusive), amanhã indo ao médico psiquiatra e ver o que ocorre lá também. Sei que terapia é um dos passos. Sei que querer ficar bem - e eu QUERO, mais que tudo tudo tudo nesse momento, não me sentir assim - é parte do processo, mas qualquer depressivo sabe que não basta desejar. E não basta falar que é só se esforçar mais, porque quando até a tarefa de levantar da cama é um esforço gigantesco, a dor parece crônica. Mas espero que, embora nunca tenha sido assim antes, ela não seja. Que ela fique mais branda. Que um dia suma.

 


A sensação que tenho é de missão falha, de traição e, como qualquer pessoa com a mesma doença irá dizer em algum ponto, uma desesperança irracionalmente grande perante o futuro. Tento combater a última parte pensando que deve com certeza haver o plano b, que a felicidade espera e que Deus não fará com que o destino seja cruel apenas porque uma missão dada não foi concretizada pelo livre arbítrio de alguém. Acho que é até errôneo da minha parte falar que não foi concretizada, porque sei que fiz minha parte. Mas tem momentos bem difíceis de lembrar isso.

Quando cada canto do seu quarto tem uma memória e sua cama é o único lugar que parece que é menos desconfortável e ainda assim contém o fantasma da companhia, o próprio quarto é uma prisão que você não escapa, assim como a mente. Mas ainda quero pensar que isso irá passar. Fico relendo mensagens de amigos. Fico falando com amigos, mesmo que mal consiga me focar em outra coisa. Fico lendo as mensagens de vocês, lendo cada uma. Penso em todos os espíritos de luz que estão do meu lado e que querem me ajudar a alcançar mais luz e felicidade, penso nas preces de vocês, nas boas energias, em todos os abraços que me enviam.

Sei que é difícil ter o pensamento positivo. Sei que é difícil e parece impossível que as coisas vão ficar bem. Mas, sabe, eu acredito que elas ficarão bem para você. E vocês acreditam por mim. A troca parece justa - e espero que esse texto te faça sentir menos só.

Com muito amor e lutando com você,
Mari
03 novembro 2014

Se Arrume Comigo: Especial de Halloween


Bem que o Dia das Bruxas aqui no Brasil também poderia coincidir com a época de abóbora, pois confesso  que meu apreço pela data seria exponencialmente maior se fosse baratinho ir no sacolão e fazer a maior festa com uma das minhas comidas favoritas. Isso, claro, não tem absolutamente pacavitas de nada a ver com o vídeo de hoje: um se arrume comigo gravado no dia 31, enquanto "ensaiava" o visual que usaria para sair de noite:

Vídeo:




Produtos Utilizados:

  • Base Uniformizadora de Pálpebras - Yes Cosméticos
  • Lápis Kajal Carbon Black - Vult
  • Paleta The Vice - Urban Decay
  • Delineador Líquido preto - Vult
  • Primer Facial HD - Koloss
  • Pintura facial branca
  • Batom Soft Matte Lip Cream em Amsterdan - NYX
  • Pincéis do kit Amazing Pink - Pink Gloss
  • Pincél EN30 - Pink Gloss












Meus planos para a noite de sexta-feira acabaram não ocorrendo como esperado, mas mesmo assim me diverti muito criando esse visual de mímico francês/pierrot/algo entre os dois. Foi bem simples, já que o vestido listrado, boina e colete já estavam no meu armário e só precisei caracterizar com a maquiagem para ficar mais próximo do resultado desejado. 

Se você se fantasiou no Halloween, adoraria saber o que escolheu e como foi seu dia! ♥
18 setembro 2014

Reflexões da Mari: Sobre Amor Para a Vida Inteira

Como em um romance de segunda categoria, cheguei a conclusão que o mundo como eu o conheci se ruiu debaixo dos meus pés e foi trocado por uma junção fantástica e abençoada de novos conhecimentos e medos. E um punhado de dor de cabeça. Então, é claro, achei que a coisa mais saudável a se fazer seria dividir com o mundo a respeito dos meus novos conhecimentos sobre a vida e relações humanas - porque é esse tipo de coisa estranha que faço, ao visto.

Passei 24 anos da minha vida acreditando no que me disseram em contos da fada e filmes da Disney de que um dia cruzaria olhares com um completo estranho na rua e que essa pessoa seria "the one"/"a pessoa"/"minha alma gêmea". Pode ser um romantismo absurdo, imaturidade ou infantilidade, mas de fato acreditava de todo o meu coração que existiria alguém que seria o "Um Anel" dos grandes amores; "um anel para todos governal" e coisa e tal, entende? E agora, de maneira absurdamente leve e assustadoramente rápida, meu coração percebeu que não é bem assim que a banda toca.


"E se for eu? E se eu tenha essa idéia de amor na minha cabeça e ela está totalmente errada?" Eu ontem, perfeitamente representada pela Jess Day de New Girl.


Ainda acredito, até mais do que acreditava quando acordei ontem, que existem almas e espíritos destinados a se encontrarem e que compartilham uma ligação inequivocadamente romântica e eterna. Só que não acho mais que todas as pessoas só vão encontrar um exemplar desses, ou que existirá aquele um que superará todos os outros. Pode ser que de fato existam aqueles que cruzarão apenas uma vez com uma alma dessas, e que não haverá espaço para dúvidas - se esse é o seu caso, ótimo para você e felicidades! Mas finalmente fui chocada com a realidade de que esse não é o meu. 

Entreguei uma chave do meu coração pela primeira vez quando tinha 14 anos. Não percebi o que tinha acontecido, apenas que tinha dado à ele a chance de destrancar uma fechadura em uma sala especial dentro do meu espírito - um cômodo do qual já ouvia falar, mas que só então conheci. Mesmo com outras paixões, verdadeiras, felizes, trágicas, rápidas e longas, foi com ele que deixei aquela chave, aquele espaço. E por mais que houvessem outras pessoas durante os anos seguintes que vivessem ao redor, havia aquele lugar onde só ele sabia entrar. Passei noites e noites em claro desejando que houve alguém que pudesse substitui-lo ali, tomando seu lugar e essa sala; e talvez seja um desses casos de que devemos ter cuidado com o que desejamos, pois seis anos após um último beijo houve um primeiro beijo que mexeu com minha alma.

Tive inseguranças e dúvidas demais para serem citadas em um texto. Não sei se posso me culpar, mas a realidade é que uma parte de mim achou quase que absurdo o fato de que havia mais alguém que poderia passar por aquela porta. Passei outras tantas noites sem dormir, comparando-a com ele, com raiva das circunstâncias e com receio de que não haveria terceira chance. Mas como o universo conspira muito mais do que nossa mente, um pouco mais de seis meses depois de mais um último beijo houve outro primeiro beijo; outra chave entregue. E, dessa vez, havia me prometido não colocar a armadura pesada do medo e me jogar. E me joguei, e a amo, e não a trocaria por ninguém. No entanto, ela não me fez esquecer os outros e nem irá. Ninguém irá substituir nenhum deles, nunca.

Logo, percebo que o amor que uma vez senti e é romântico continua vivo dentro de mim tanto quanto quando eu tinha 14 ou 22 anos: ele respira, ele existe. E cada vez que encontrar alguma dessas pessoas, sentirei que há uma chave sendo colocada na porta, que alguém pede para entrar. No momento a terceira pessoa ocupa toda a sala, todo meu sorriso: cada dia com ela é uma experiência nova, cresço mais, amadureço mais, e a amo mais - e agora com a consciência de que meu amor por ela, minha escolha emocional de que ela é a pessoa certa para mim nesse momento (e, quem sabe, para todos os outros), não retira o fato de que os outros dois também são os amores da minha vida.

"Amor da minha vida." Esse é um termo que não saia da minha boca há seis anos, que não tive coragem até então de empregar novamente, mas que agora o faço de coração leve e certeiro. Eles são as pessoas de quem jamais serei amiga, mas que sempre serei a maior amiga. Não sei se as chaves são só três e meu futuro estará entrelaçado com uma dessas pessoas em particular, mas sei que não importa o tempo, a distância, a companhia, as escolhas minhas ou delas, meu amor continuará.

Todas aquelas vezes que achei que o amor deixaria de existir, estava falhando em entender que o amor de verdade jamais morre. Parece quase que semelhante a esperança, ao ter fé, mas ele ainda tem um pé terreno que só quem sente duas almas conectadas e ainda presas em seus corpos consegue entender. Não é meramente o incondicional, o altruísta e a firmeza que o tornam transcendental, mas há uma qualidade de fogo que pode tanto corroer como, mais maduro, aquecer, marcando quem o carrega.

Estou há um pouco mais de 24 horas matutando e tentando digerir de que talvez o destino seja conhecer essas pessoas, e que haverá pelo caminho circunstâncias, opiniões e momentos que me façam estar com uma ou outra. Nesse preciso e exato momento da minha vida, sei exatamente o que é o certo para mim nesse agora, e estou tentando conviver com a noção de que ainda tenho muito o que aprender e viver antes de compreender o momento e a decisão que é quando decide-se estar "para sempre" com alguém. 

Dentro do meu coração, começo a entender que a jornada de amar jamais tem volta e paradas, apenas um caminho em frente. E, seja o que for que essa trilha me guarda, acho que posso me considerar sortuda e orgulhosa por amar três pessoas únicas de forma incondicional, romântica, louca e, assumidamente, por toda a minha vida. No fundo acho que estou vendo que a pessoa "certa" é uma escolha, e não uma imposição; como ser humano, obviamente haverá o medo de fazer a escolha errada. Mas, como apaixonada, posso dizer que pela primeira vez em muitos anos estou finalmente confiando nos caminhos dos meus próprios sentimentos - que hoje continuam de mãos dadas com a pessoa com quem escolho estar na sala mais escondida do meu coração.

Descobri que meus sentimentos e meu destino, caminho, ou seja como quiser chamar, são muito maiores do que um dia acreditei. E, tomada por todo o amor do mundo, pela primeira vez em anos acho que finalmente entendo o conceito do quão livre é o verdadeiro amor. 

02 setembro 2014

Vídeo: Favoritos de Agosto + Sorteio

Mais um mês se encerra e já estamos na corrida final do ano. Esses próximos dois meses serão especialmente corridos para mim pela conclusão do meu curso na faculdade (Jornalismo) e a etapa final da monografia que estou fazendo como TCC (Trabalho de Conclusão de Curso). Certamente comentarei sobre o processo com vocês depois que tudo estiver finalizado e minha banca ocorrer, mas torçam os dedinhos para que tudo se desenrole bem nessa etapa final. Estou ansiosa e nervosa, mas estou dando meu melhor!











Em trimestre final, minha coisa favorita definitivamente é dormir...

Falando em dar seu melhor, eis o vídeo abordando quais produtos, filmes, livro e séries se destacaram como campeões para mim agora em Agosto. No vídeo também há o resultado do sorteio que ocorreu nos favoritos do mês passado e, como uma surpresinha extra e mais um "muito obrigada" por todo o apoio, há mais um sorteio no final desse vídeo:



Citados:


Cosméticos

  • Soft Matte Lip Cream em Istanbul e Transylvania - NYX [link do vendedor com quem comprei no Mercado Livre]
  • Batom cremoso em Violetando - [quem disse, berenice?]
  • Batom matte em Violita - [quem disse, berenice?] 
  • Duo de blush e bronzer Sin/Casino - NARS
  • Over Night Biological Peel - Kiehl's 

Livro

  • The Giver - Lois Lowry

Cinema e Tv

  • Guardiões da Galáxia
  • Call The Midwife (disponível no Netflix)

~♥~

Para participar do sorteio é bem simples! Basta:

  1. Estar inscrito no meu canal do Youtube
  2. Preencher o formulário logo abaixo!
Se quiser ter três chances extras de ganhar esse kit super legal (e maravilhoso de olhar, cá entre nós), você consegue: basta me curtir no Face, ser meu seguidor no Insta e no Twitter











Ao menos ser A Escolhida nesse sorteio é milhões de vezes mais tranquilo do que ser O Eleito...
27 agosto 2014

Minha Coleção de Batons + Swatches









Batom é um dos itens de maquiagem que mais adoro trocar: embora tenha meu visual de todo santo dia para os olhos, os lábios são o local onde procuro variar e melhor explorar as possibilidades dos itens que estão presentes na minha coleção. No vídeo de tour pela minha penteadeira perguntei se vocês teriam interesse em ver melhor os que estão lá - os que de fato considero minha "verdadeira" coleção, pois são os que uso sempre e variando entre eles - e a resposta foi um gigantesco sim. Logo, eis um post com swatches de todos meus queridões:


Vermelhos:














Tubinhos da esq. para dir. e swatches estão de baixo para cima:
Amsterdan (NYX), cor nº1 (Vult), RiRi Woo (MAC), Lady Bug (MAC), Candy Apple (Revlon), Fire (Duda Molinos), Vermelho Real (O Boticário), Vermelhito (quem disse, berenice?)

Meus batons vermelhos me dão um orgulhinho no coração, posso confessar? hahaha Adoro vários tipos de acabamento nessa família de cores, dos mais cremosos e brilhantes até os super opacos. Acho que vermelho é chique de quase todas as formas... Com exceção de metalizados, mas até ai eu tenho algo contra  esse tipo de toque no geral nos lábios. Nada contra nos olhos, apenas acho que peguei trauminha dos meus 14 anos: só usava um batom tão metálico que parecia que tinha passado papel alumínio na boca. Definitivamente não foi o ponto alto da minha vida junto da maquiagem.

Meus favoritos desse lote há anos é o Lady Bug, mas nos últimos meses o RiRi Woo e o Amsterdan vem ganhando espaço fixo no coração.

Cor de Boca:















Tubinhos da esq. para dir. e swatches estão de baixo para cima:
Pink Truffle (Revlon), Rouge nº9 (Make Up For Ever), Kinda Sexy (MAC), Boca 4 (Natura Una)

Vocês repararão que não possuo batons "nudes" nesse post, e a razão é simples: cor de boca é o mais próximo do nude que chego. Acredito que meu rosto precise de um toque colorido nos lábios para poder ser harmoniozo, e acaba que esse tipo de cor, que costuma ser o queridinho de tanta gente, me é reservado para ser minha boca "apagada" mesmo.

No entanto, tenho alguns acabamentos diversificados e intensidades diferentes. Acredito que o mais usado dai seja o Boca 4, que é basicamente o tom da minha boca com toque a mais de rosa. Ele é o meu batom para quando quero dar uma cara de "boca coradinha, mas imagina-amiga que tô usando batom!".

Rosas Queimados:











Tubinhos da esq. para dir. e swatches estão de baixo para cima:
Catfight (Urban Decay), Captive (MAC), Sugar Plum (Revlon), Berry Smoothie (Revlon), Macaroon (Revlon) e Pop Colors Love (Intense/O Boticário)

Eis os meus batons de todos os dias! Um toque extra de cor e profundida, de tons que viajam entre o mauva e o rosa mais purinho. Enquanto que o Captive é meu favorito dessa família para o inverno, o Pop Colors Love é o meu de verão. O Berry Smoothie possivelmente é o batom mais usado da minha coleção inteira e já estou no meu segundo tubinho!

Vinhos e Com.:














Tubinhos da esq. para dir. e swatches estão de baixo para cima:
Cor 55 (Vult), Dark Berry (Yes), Cor 33 (Intense), Red Velvet (Revlon), Film Noir (MAC) e Hang Up (MAC)

Fiquei na dúvida se colocava o Hang Up com os roxos ou com os vinhos, mas optei por aqui devido ao fundo rosado demais para ser roxinho. É uma daquelas cores que ficam pulando de uma família para a outra, dependendo da iluminação e da situação. Acho que justamente por isso é uma das minhas queridinhas.

Rosas:














Tubinhos da esq. para dir. e swatches estão de baixo para cima:
Cor 26 (Vult), Pink Plaid (MAC), Sugar Frosting (Revlon), Cupcake (Revlon), Pearly Shine (Nivea), Istanbul (NYX)

Eis a turminha dos rosas claros! Eles são mais reservados para quando eu quero um visual nude que seja mais alegre, pois acho que cor de boca acaba sendo uma cor "natural" e que alguns visuais pedem um toque mais rosadinho mesmo nos lábios. Meu queridão atual dai é o Istanbul, que combina um tom um tantinho mais aparecido com um acabamento opaco discreto.













Tubinhos da esq. para dir. (e de baixo para cima) e swatches estão de baixo para cima:
São Paulo (NYX), Milan (NYX), Catfight (Urban Decay), Pintura Pink (Avon), Viva Glam Nicki (MAC), Rebel (MAC), Raspberry Pie (Revlon), Sweet Tart (Revlon), Wild Watermelon (Revlon), Strawberry Shortcake (Revlon), Pop Colors Rick (Revlon) e Violita (quem disse, berenice?)

O que posso dizer...? Obviamente batons rosas mais chegueis são meus favoritos por só um pouquinho de obsessão a mais. Escolher meus prediletos dentre esses seria cruel e no mínimo torturante, pois cada um deles é meu favorito para alguma situação/estação/humor/período do dia! hahaha

Mas, vamos lá, só porque me sinto obrigada: Milan, Catfight, Nicki, Raspberry Pie. *cai no chão pelo peso da decisão*

Roxos e Lilás:














Tubinhos da esq. para dir. e swatches estão de baixo para cima:
Transylvania (NYX), Cyber (MAC), Viva Glam Nick 2 (MAC), Fancy Rose (Duda Molinos), Poisonberry (Lime Crime), Uvita (quem disse, berenice?) e Violetando (quem disse, berenice?)

Roxo é uma das minhas cores "diferentes" preferidas para batons. Quando as mechas do meu cabelo estão coloridos em algum tom dessa família acho que fica super harmonioso e, de outra forma, cria um contraste interessante com meu tom de pele. Acho que de todas as cores menos clássicas eles são meus favoritos, dos vamps aos lilases (os quais, admito, tenho alguma dificuldade de usar).

O favorito atual daí é bem disparado: o Violetando, da quem disse, berenice? tem conquistado o pódio do meu coração.

Alaranjados:














Tubinhos da esq. para dir. e swatches estão de baixo para cima:
Peach Parfait (Revlon), Juicy Papaya (Revlon), Laranjarara (quem disse, berenice?) e Rosa Arte (Avon)

Laranjas são outra família pequena da minha coleção, mas são bem queridos durante os meses mais quentes. Ando muito ansiosa para usar o Laranjarara e o Juicy Papaya quando as próximas férias chegarem trazendo calor, liberdade, e a sensação de dever cumprido do ano que se encerará...

Penteado: Falsos Victory Rolls + Coque Baixinho











Adoro fazer tutorias de penteado! Especialmente os que não precisam de cabelos longos demais (nem cheios demais), mas que funcionam também se você tiver uma filial da cabeleira da Rapunzel. No caso esse aqui é um super simples e com ares vintage - algo que ando apaixonada nos últimos meses: falsos victory rolls e um coque baixo.

Os victory rolls foram um estilo de penteado muito popular nos anos 40 e que contém uma atmosfera delicada, romântica, e que aliava a praticidade do cabelo fora do rosto (necessário, já que as mulheres estavam trabalhando em fábricas quando os homens foram para a guerra) e um charme feminino. A versão original é mais trabalhosa e não tão rápida, mas esse truque fofinho fácil continua dando um ar dessa era sem perder muito tempo na frente do espelho.

Os rolinhos originais são exatamente isso: rolinhos, com a espiral à mostra.

Vídeo:











Sim, são as relíquias da morte de Harry Potter atrás da minha orelha! o/ A história da minha tattoo está aqui, se quiser saber mais.

Copyright © 2014 - marianasantarem.com.br - Todos os direitos reservados. LAYOUT E ILUSTRAÇÃO POR KÊNIA LOPES. PROGRAMAÇÃO POR SUGAR DANCE.